Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A chegada do fonógrafo (e do telefone) a Portugal

por João Távora, em 13.11.20

edison1878.jpg
"A 9 de Janeiro de 1878 morria em Roma o rei Vítor Manuel II, sogro de D. Luís I, o que motivou a partida apressada para Itália da filha, a rainha Maria Pia, que aproveitou para levar consigo o Príncipe D. Carlos então com quinze anos.
Antes de embarcar, pediu a Francisco de Mello Breyner que levasse o filho Thomaz para o Paço da Ajuda para fazer companhia ao infante D. Afonso, que ficara sozinho sem o irmão.
Recebida a pelos pais com grande alvoroço e satisfação, a notícia não podia ter agradado mais ao visado.
«Foi um rebuliço geral na família. Criados, vizinhos e amigos vinham-me felicitar, uns a sério outros a mangar. Eu, porém, dei a maior atenção ao meu novo cargo, chegando a persuadir-me de que tinham deito príncipe»
(…) Durante o tempo que esteve no Palácio da Ajuda, Thomaz pôde assistir também, como o infante e outros membros da corte, às explicações do professor May Figueira sobre o funcionamento do microscópio e de como se preparavam chapas fotográficas com colódio. Os dois jovens testemunhariam ainda a chegada do fonógrafo de Edison e a primeira experiência telefónica feita em Portugal:
«Quando numa noite se chegou à sala azul estava lá um homem de casaca a fazer mesuras. Ao pé dele via-se um banco alto em cima do qual assentava um cilindro ligado a uma espécie de funil preto. 

Pela banda de baixo havia, presos a umas correntes, dois pesos como os de certos relógios. Depois dum pequeno discurso em francês, o tal homem pôs em marcha o cilindro e daí a instantes parecia que dentro dele falava uma papagaio rouco. A seguir ouviu-se o Carnaval de Veneza.
Era o fonógrafo de Edison, antepassado dos actuais gramofones.
O apresentante quis também mostrar como se imprimida num cilindro novo qualquer música.
Por isso veio um músico de Infantaria 1, que tocou num cornetim o hino de el-rei D. Luís; mas o rapaz com a comoção enganou-se várias vezes e deu notas falsas. Quando se pôs o aparelho a rodar às avessas, apareceram os enganos e as fífias. O pode executante estava vexado.

Outra novidade na noite seguinte e na mesma sala.

El-rei sorridente tinha na mão um auscultador branco com as armas reais pintadas a cores. Um fio ligado à parte mais delgada saía por uma janela. El-rei falava pelo mesmo bocal que em seguida punha ao pé da orelha para ouvir as respostas de Frederico que estava no observatório da tapada com outro auscultador ligado à outra extremidade do fio. Era o ascendente dos telefones de hoje.»

Conta Thomaz de Mello Breyner que todos os presentes se entusiasmaram com estas novidades, menos o padre Queimado, capelão do paço, que achou que tudo aquilo não passava de terríveis invenções do Demo..."

In “Thomaz de Mello Breyner – Relatos de uma época”, por Margarida Magalhães Ramalho, págs. 36 e 37 - Imprensa Nacional - 2018

Na imagem uma demonstração do fonógrafo de Edison em Londres em 1889. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32




A montante deste caprichoso prazer de coleccionar os sons antigos e de saborear sofisticados sistemas de reprodução sonora está uma enorme paixão. Neste blog que afinal é uma contradição de termos – uma plataforma de partilha digital em defesa do suporte analógico - presto tributo a essa que considero a mais divinal forma de expressão humana: a música.


O Autor

João Lancastre e Távora nasceu em Lisboa, que adora. Exilado no Estoril, alienado com política e com os media, é sportinguista de sofrer, monárquico, católico e conservador. No resto é um vencedor: casado, pai de filhos e enteados, é empresário na área da Comunicação e do Marketing. Participando em diversos projectos de intervenção cívica, é dirigente associativo e colabora em vários blogues e projectos comunicação política e cultural.

Instagram

Instagram




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D